não, Não estamos prontos,

Red Pencil Drawing Oval Speech Balloon with Ellipsis

Ninguém está pronto

Ninguém nasce pronto

Ninguém morre pronto

 

Viver é um estado dinâmico

Estou hoje, mas não sei se estarei amanhã

Quero hoje, mas não sei se quererei depois de amanhã

 

E ainda assim,

Quero poder estar hoje

Quero poder dizer hoje

 

Quero poder dizer:

que talvez não queira dizer nada amanhã

que talvez não queira estar em lugar algum amanhã

 

Quero poder admitir hoje

Que minha definição de amar

Não cabe na sua (nem precisa)

 

Quero não ter que querer

E admito que nem sempre tenho uma explicação

Mas (quase sempre) respeito quem sempre  (“acha que”) tem certeza que tem

 

Quero poder dizer o que penso

Porque não quero ter “coisas que não se dizem”

Porque não “há coisas que não se dizem pra quem se ama”

 

Porque, para mim, para esta Mimimi:

Tudo o que se diz é porque se ama

E quando eu não quiser mais falar, é porque falAr não vale mais a pena

 

Mas enquanto eu [ainda quiser] falar,

é sinal de que ainda quero tentar,

ainda quero viver,

 

quero dar chances para a ligação que existe,

para a chama que se ascende

no triângulo do fogo da sobrevivência [x+y+comunicar]

 

Pois falAr, pra mim, é sinal de vida, é sinal de persistência

É luz em meio à escuridão do silêncio

É calor no frio da existência

É encontro em um mundo hostil

É perder pro sucesso performático

É ganhar pra comunhão trôpega, desengonçada

 

A experiência de viver precisa de falas imprecisas

Precisa de uma torrente de palavras,

R.i.o de sentimentos e m.a.r de transbordamentos

É preciso saber que viver é IMpreciso

 

]Assumir a constância da inconstância[

Ou a inconstância da constância

Gangorra de InStAbILiDaDeS

 

Viver é continGente: é o plano B, C ou D…

É gente aprendendo a ser gente

É cultivar dúvidas e [falta de] respostas na mente

 

É ouvir que a morte e a vida, o fim e o início

Chegam de repente

E a gente aprende a fazer repente

 

E passamos a criar novos versos

Nas estrofes da vida

Resilientes à intensidade da chuva ou da brisa

 

Sentamos na cadeira do aprendiz,

Percebendo que Ser é processo,

É incompleto

 

É saber que nem sempre há um culpado

E que nem sempre (ou nunca) isso é relevante

 

Porque viver…

Viver é o que cabe dentro de uma reticência

É ciclo, é espiral, é redondo

 

Viver…

Viver é inacabado

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s